PUBLICIDADE

São Paulo / Cotidiano

“Achava que só a bariátrica iria resolver o meu problema”, diz a paciente

Foto: divulgação

Nem sempre a cirurgia é a solução

Há quase dois anos, após sofrer comentários maldosos por ser obesa, crises de pânico, ansiedade, depressão e uma tentativa de suicídio, *A.B.A, então com 118 quilos, marcou consulta com o médico Luis Felipe Paschoali e questionou a possibilidade da cirurgia bariátrica depois de inúmeros insucessos para emagrecer. De acordo com ele, a paciente iniciou o tratamento em junho de 2021, com boa progressão de perda de peso. Contudo, A.B.A foi orientada por outra pessoa a procurar um determinado especialista em emagrecimento. Acreditando que perderia peso de maneira rápida, a paciente se consultou com o profissional, que suspendeu as medicações e prescreveu uma fórmula que a fez ganhar quatro quilos.

Dr. Luís Paschoali

Insatisfeita, meses mais tarde, ao decidir retornar ao consultório de Luis Felipe, A.B.A estava acima do peso, o humor oscilante, mas com aquele mesmo desejo de fazer a cirurgia bariátrica. Paschoali lhe explicou que naquele estado de humor não havia condições de operar. Ela foi encaminhada ao psiquiatra, que manteve as medicações já prescritas por Paschoali. Com o ajuste do medicamento, o médico conta que a paciente começou apresentar bom controle do humor e passou a seguir corretamente as orientações da nutricionista. “Fez tratamento comigo por mais seis meses, atingindo o peso de 78 quilos e desistiu de fazer a bariátrica”, comenta.

 A.B.A mostra-se grata ao médico. A paciente afirma que a vontade de fazer a cirurgia foi abolida graças à conversa com Paschoali. Ele sugeriu um tratamento menos agressivo. “Foi a melhor escolha que fiz. Estou saudável, me sentindo bem, com autoestima elevada”, aponta. A.B.A demonstra satisfação ao escutar das pessoas elogios por ter emagrecido e, acima de tudo, olhar-se no espelho e sentir-se bonita. “Escolher roupas em uma loja normal. Caminhar por um longo período e não sentir o coração saindo do meu corpo, andar de bike. Conseguir me exercitar. São coisas que antes eu não fazia de jeito nenhum. Hoje em dia, eu consigo”, afirma. Após emagrecer sem intervenção cirúrgica, A.B.A vai fazer plástica para retirar o excesso de pele da barriga.

*As iniciais foram utilizadas para preservar a identidade da paciente.